Albert Einstein – Biografia, Quem foi? Frases, Teoria da relatividade


Um dos cientistas mais importantes do século 20, Albert Einstein foi quem propôs a teoria da relatividade. Ele ganhou o Prêmio Nobel da física em 1921 e ganhou fama mundial, sendo um sinônimo de genialidade.

O fato é que a história é marcada por figuras como Einstein, que mudam o curso dos acontecimentos com o seu conhecimento. Então, para saber um pouco mais sobre ele, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre Albert Einstein. Vamos lá?!

Infância e juventude de Einstein

Nascido em Ulm, no Reino de Württemberg, do Império Alemão, Albert Einstein veio ao mundo no dia 14 de março de 1879. Era filho de Hermann Einstein, engenheiro e vendedor, e Pauline Einstein.

Ele se mudou para Munique quando seu tio e seu pai fundaram uma empresa de equipamentos elétricos. A empresa se chamava Elektrotechnische Fabrik J. Einstein & Cie e produzie eletrônicos acionados por corrente contínua.


Um ano mais tarde, nasceu a irmã de Enstein, que se chamava Maja. Aos cinco anos de idade, Einstein foi para a escola primaria católica, onde ficou por três anos. Aos 8 anos, foi transferido para outra instituição, que atualmente possui o seu nome como forma de homenagem. Lá ele ficou até concluir o ensino secundário.

Ele deixou a Alemanha cerca de 7 anos depois. Como grandes influencias durante a sua formação, Albert Einstein tinha o seu tio Jacob, que era engenheiro, e Max Telmey, que era um jovem e pobre estudante de medicina que ia jantar na casa de sua família uma por semana durante anos.

Foram essas figuras os responsáveis por incentivar a curiosidade inerente e infinita de Albert Einstein a respeito de tudo. Foi Talmey que apresentou para ele alguns livros populares sobre ciência, tal como o clássico de Immanuel Kant: Critica da Razão Pura.

Quando a empresa do seu pai faliu, em 1984, a família se mudou para Milão, na Itália e depois para Pavia, uns anos mais tarde. Porém, Einstein ficou em Munique a fim de terminar seus estudos no Ginásio.

A ida de Albert Einstein para a ItáliaFoto de Albert Einstein

Embora o pai quisesse que Albert Einstein seguisse a carreira de engenharia elétrica, o jovem se chocou com as autoridades e ficou contra o regime escolar e seus métodos de ensino. Ele afirmou que “espírito do conhecimento e o pensamento criativo foram perdidos na esteira da aprendizagem mecânica”.

Então, foi se juntar à sua família na Itália no fim deste ano, conseguindo a liberação escolar com um atestado médico. Foi na Itália que ele escreveu um ensaio com o título “Sobre a Investigação do Estado do Éter num Campo Magnético”

Com 16 anos, em 1985, ele foi admitido na Escol Politécnica Federal Suíça, dois anos antes do padrão. Ele não havia obtido o padrão em diversas disciplinas, mas foi excepcionalmente bem em matemática e física.

O diretor aconselhou que ele terminasse o ensino secundário, o que ele fez, hospedando-se com a família do professor Jost Winteler. Ele se apaixonou por uma das filhas do professor e mais tarde sua irmã Maja casou-se com um dos filhos dos WIntelers.

Com 17 anos ele se matriculou no curto para obter o diploma de professor de física. Ele viveu com uma mesada de 1 franco suíço durante essa tempo e ainda conseguiu guardar uma parte para o pagamento do seu processo de naturalização.

Influências externas

A existência sonhadora e inquieta, Albert Einstein puxou de sua mãe, Pauline. Também foi ela que o pôs em contato com o violino quando tinha apenas 6 anos.

Seus tios Cäsar e Jakob Koch, foram grandes influencias também, levando-o pelo caminho da matemática e da física. Com apenas 12 anos ele já teve contato com um dos livros de geometria de Euclides. Com isso, sua paixão infantil pela bússola e outros elementos passou a ganhar um tom mais promissor.

Início de carreira de Albert Einstein

Em 1901 Albert Einstein finalmente conseguiu a nacionalidade Suíça. Seu artigo “Conclusões Retiradas dos Fenômenos da Capilaridade” foi publicado poucos meses depois. A publicação ocorreu em um meio bastante prestigiado, o periódico acadêmico chamado Annalen der Physik.

Esse foi o seu primeiro artigo cientifico a ser publicado. No entanto, foi suficiente para impressionar os editores.

Com o estímulo proporcionado por esse sucesso inicial, Albert Einstein, que seria pai em breve, iniciou um doutorado pela Universidade de Zurique. Ele teve Alfred Kleiner como seu orientador na tese “Uma determinação das Dimensões Moleculares”. Esse artigo tratava das forças moleculares em gases.

No verão desse mesmo ano, ele atuou como professor substituto em uma escola técnica e como tutor em uma escola particular.

Sua tese foi concluída no ano de 1905, que ficou conhecido como Ano Miraculoso. Isso porque nesse ano houve a publicação de 4 de seus trabalhos revolucionários, que foram sobre:

  • Efeito fotoelétrico
  • Movimento browniano
  • Relatividade especial
  • Equivalência entre massa e energia

No ano de 1906 ele foi promovido no escritório de patentes, recebeu o título de doutor e ainda veio a conhecer Max Planck, com quem pode discutir inúmeras implicações teóricas da relatividade espacial.

No auge da sua vida profissional

A vida profissional de Albert Einstein teve muitas conquistas e pode-se dizer que foi sempre ascendente. No entanto, o auge da sua carreira pode ser considerado o ano em que ele recebeu o Premio Nobel de Física.

O premio lhe foi dado por suas contribuições à física teórica e, principalmente pela descoberta do efeito fotoelétrico. Vale lembrar que a relatividade não era bem compreendida.

Vida pessoal e família

Albert Einstein se casou com Milevano dia 06 de janeiro do ano de 1903. Juntos, tiveram 3 filhos: Lieserl Einstein, Hans Albert Einstein e Eduard Einstein. No entanto, 11 anos depois o casamento não ia nada bem.

Percebendo que não havia mais como recuperar o matrimônio a nível romântico, Einstein propôs à esposa que permanecessem juntos pelos filhos.

A decisão pareceria até nobre, se Albert Einstein não tivesse feito uma lista de exigências para manter a união. Dentre os itens, ele pedia que:

  • Suas roupas continuassem sendo mantidas em ordem
  • Que recebesse pelo menos 3 refeições no seu quarto
  • Que a sala de estudos fosse mantida limpa,

Esses são apenas alguns exemplos dos itens da lista que Mileva aceitou. No entanto, a tentativa não foi bem sucedida. Em poucos meses ela saiu de casa com os filhos, deixando o Marido em Berlim e mudando-se para Zurique. Já o divórcio, só veio 5 anos depois, em 1919.

A importância de Albert Einstein no seu tempo

Sendo considerado na atualidade como um dos maiores cientistas de todos os tempos, à sua época, Einstein se destacou. Ele fez muitos amigos na área da física e foi bastante reconhecido ainda em vida por seus feitos e descobertas.

A teoria da relatividade

Albert Einstein foi quem articulou a teoria da relatividade. Segundo Hermann Minkowski, isso era uma generalização da invariância rotacional, do espaço para o espaço-tempo.

A teoria da relatividade é o nome dado a um grupo composto por duas teorias científicas:

  • A relatividade Restrita ou espacial
  • Relatividade geral

Nesse âmbito, ele publicou diversos artigos e instigou diversos pensadores. No entanto, embora seja uma grande descoberta atual, essa teoria não era tão bem compreendida na época.

Outras teorias de Albert Einstein

Sem dúvidas, Albert Einstein sempre teve uma visão bastante clara sobre a física e seus problemas. Ele foi quem descobriu a estrutura essencial do Cosmo, por exemplo.

Desde o princípio de seus estudos ele notou inadequações nas ideias propostas por Newton. Então, desenvolveu a teoria da relatividade para reconciliar o campo da eletromagnética com as leis da mecânica.

Foi ele ainda que desenvolveu o princípio da equivalência, além de ser grande estudioso de mecânica quântica.

Ele também pesquisou e desenvolveu a teoria do campo unificado, em 1950. Teve também a teoria da opalescência crítica, o argumento do buraco e a teoria de Entwurf, entre outras.

O fato é que , embora continuasse sendo muito elogiado e reconhecido, ele foi se isolando cada vez mais em sua pesquisa, porém com esforços sem resultado.

Morte de Albert Einstein e seus últimos anos de vida

Foto de Einstein

Em 1950, foi descoberto em Albert Einstein um aneurisma na aorta abdominal. As opções de tratamento eram poucas e os médicos decidiram envolver a veia em celofane para evitar um hemorragia.

Albert Einstein lidou bem com a notícia e recusou qualquer outro tipo de procedimento para a correção do problema. Ele não queria prologar sua vida de forma artificial e assinou seu testamento 18 de março do mesmo ano.

Foi ele próprio que organizou também os detalhes funerários. O que ele queria era uma cerimônia simples e sem lápide. Também não quis ser enterrado para evitar que seu túmulo virasse ponto turístico. Então, contrariando a tradição judaica, ele foi cremado.

Os seus últimos dias de vida foram bastante tranquilos e ele faleceu na manha do dia 18 de abril de 1955, no Hospital de Princeton. Ele já tinha 76 anos de idade, era uma referência de genialidade e trabalhou até quase o fim da sua vida. Suas últimas palavras não foram compreendidas pela enfermeira, pois ele falou em alemão.

Na autópsia do corpo de Albert Einstein, se cérebro foi removida para ser preservado. Ele foi dissecado em 240 seções. Algumas partes foram banhadas em parafina, para preservação e outras conservadas em formol.

Cérebro de Albert Einstein roubado?

Quem retirou o cérebro de Albert Einstein durante a autópsia foi Thomas Stoltz Harvey. Como suas pesquisas no cérebro se estenderam, o assunto veio à público e o patologista fez uma coletiva de imprensa na qual afirmou que estava estudando o órgão para a ciência. Como não era um neuropatologista, suas habilidades foram questionadas e ele se recusou a entregar o órgão.

Desde então, o cérebro vem sendo objeto de diversos estudos. Isso inclui a anatomia do mesmo em relação à sua inteligência.

O cérebro de Albert Einstein foi reencontrado em 1978, ainda sob posse de Harvey. Tudo havia sido preservado em álcool, em vidros de conserva por mais de 20 anos.

Seu legado hoje

As cartas de Einstein estão preservadas até os dias de hoje na Universidade Hebraica de Jerusalém. A esposa Margot permitiu que essas cartas fosse expostas, desde que passados 20 anos de sua morte. Segundo Barbara Wolff, arquivista da universidade, existem mais de 3.500 páginas de correspondência partícula, que foram enviadas entre 1910 e 1955.

Os royalties referentes ao uso de sua imagem foram doados também para a Universidade Hebraica e Jerusalém. Já a sua equação da equivalência energia-massa (E-mc²) foi chamada de equação mais famosa do mundo.

A mecânica quântica, por sua vez, teoria da relatividade geral, é considerada um dos principais pilares da física atual.

Albert Einstein foi inspiração para muitos filmes, livros, música e obras teatrais.

Frases de Albert Einstein

Como não poderia ser diferentes, Albert Einstein possui muitas frases célebres, tais como:

“Ponha sua mão num forno quente por um minuto e isto lhe parecerá uma hora. Sente-se ao lado de uma bela moça por uma hora e lhe parecerá um minuto. Isto é relatividade”.

“Duas coisas são infinitas: o universo e a estupidez humana. Mas, em relação ao universo, ainda não tenho certeza absoluta.”

“Eu temo o dia em que a tecnologia ultrapasse a nossa interação humana, e o mundo terá uma geração de idiotas”

“Não tentes ser bem sucedido, tenta antes ser um homem de valor.”

“Triste época! É mais fácil desintegrar um átomo do que um preconceito.”

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre Albert Einstein, sua vida, teorias e como ficou mundialmente conhecido como o cientista mais importante do século! Aproveite e se inspire!