Carlos Drummond de Andrade – Biografia, Frases, Poemas, Obras


Carlos Drummond de Andrade é um grande poeta da segunda fase do modernismo da literatura brasileira. A literatura brasileira, por sua vez, surgiu quando a atividade literária foi incentivada pelos jesuítas. Isso ocorreu logo depois do descobrimento do Brasil, no século XVI.

Essa literatura ganhou independência com o passar do tempo. Assim, no século XIX ela iniciou um processo com movimentos realista e romântico.

Nela, podemos citar os nomes de João Guimarães rosa, Cecília Meireles, Clarice Lispector e claro, Carlos Drummond de Andrade. Então, se você quer saber um pouco mais sobre esse importante escritor, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber. Vamos lá?!

Quem foi Carlos Drummond de Andrade?

Carlos Drummond de Andrade foi um contista, poeta e também cronista brasileiro. Ele nasceu em Itabira, no dia 31 de outubro do ano de 1902.


Ele foi considerado por muitos como o poeta brasileiro mais influente do século XX. Na segunda geração do Modernismo brasileiro, ele também foi um dos principais poetas.

Juventude e início de carreira

Nascido em Minas Gerais, as memórias de sua cidade mermaram a sua obra. Carlos Drummond de Andrade estudou no Colégio Arnaldo, em Belo Horizonte, e também no Colégio Anchieta, em Nova Friburgo.

Ele se formou em farmácia na Universidade Federal de Minas Gerais. Teve como colega, Emílio Moura, entre outros, com quem fundou uma revista para a divulgação do modernismo no Brasil.Foto de Carlos Drummond de Andrade

No ano de 1925, ele contraiu matrimônio com Dolores Dutra de Morais e juntos tiveram 2 filhos. O primeiro deles, Carlos Flávio, faleceu logo após o nascimento. A ele é dedicado o poema “o que viveu meia hora”, encontrado em Poesia Completa. A segunda filha foi Maria Julieta Drummond de  Andrade.

No entanto, o início da sua carreira foi em 1921 quando ele começou a publicar alguns artigos no Diário de Minas. No ano de 1922 ele ganhou um premio no valor de 50 mil réis em um concurso chamado Novela Mineira. Para isso, usou o conto intitulado “Joaquim do telhado.

Principais obras e poemas de Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade é o autor de incontáveis obras, sendo um dos precursores do modernismo no Brasil. Sua obra literária conta com mais de 40 títulos, que foram lançados durante seus mais de 50 anos de dedicação à escrita. Então, vamos conhecer logo abaixo, algumas obras de Carlos Drummond de Andrade.

Poesia:

  • Alguma Poesia (1930)
  • Brejo das Almas (1934)
  • Sentimento do Mundo (1940)
  • José (1941)
  • A Rosa do Povo (1945)
  • Claro Enigma (1951)
  • Viola de Bolso I (1952)
  • Boitempo & a Falta que Ama (1968)
  • Menino Antigo (1973)

Crônicas

  • Confissões de Minas (1944)
  • O Gerente (1945)
  • Passeios na Ilha (1952)
  • A Bolsa e a Vida (1962)
  • Uma Pedra no Meio do Caminho – Biografia de um Poema (1967)
  • Caminhos de João Brandão (1970)

Contos

  • Contos de Aprendiz (1951)

Além disso, ainda existem muitas traduções que podem ser atribuídas a Carlos Drummond de Andrade na sua vasta bibliografia.

Maiores características em sua obra

Carlos Drummond de Andrade é o precursor do movimento modernista. Também é considerado um dos mais importantes poetas brasileiros. É o seu livro “Alguma Poesia” de 1930, que marca o início do que ficou conhecido como a segunda fase poética do modernismo.

Ele escreveu também em prosa, caracterizada por expressividade na linguagem e riqueza do tema, sem falar do grande bom humor.

Seus escritos trazem uma certa ironia e bom humor, bem como traços metafísicos e um certo tom de crítica sócia. Seus versos são brancos e livre, faze uso da metalinguagem e a ferramenta de retomada da infância.

Frases de Carlos Drummond

Como não poderia deixar de ser, Carlos Drummond de Andrade possui várias frases célebres. Ela provem de seus poemas, livros, fala e publicação e são usadas até os dias de hoje como forma de expressão de um pensamento.Estátua de Carlos Drummond de Andrade no Rio de Janeiro

Sendo assim, veja algumas frases célebres de Carlos Drummond de Andrade:

“Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade.”

“O mundo é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.”

“A minha vontade é forte, porém minha disposição de obedecer-lhe é fraca.”

“Os homens distinguem-se pelo que fazem; as mulheres, pelo que levam os homens a fazer.”

“A amizade é um meio de nos isolarmos da humanidade cultivando algumas pessoas.”

“Ninguém é igual a ninguém. Todo o ser humano é um estranho ímpar.”

“Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo.”

“Há certo gosto em pensar sozinho. É ato individual, como nascer e morrer.”

“Há duas épocas na vida, infância e velhice, em que a felicidade está numa caixa de bombons.

Homenagens ao poeta

Por ser considerado um dos poetas mais influentes do século 20 e o principal poeta do modernismo, Carlos Drummond de Andrade recebeu inúmeras homenagens.

Uma das mais conhecidas de todas é a estátua em sua homenagem. Quem vai ao Rio de Janeiro e passa pelo calçadão de Copacabana certamente já reparou nela.

Parece a silhueta de um velhinho sentado em um banco, mas é uma obra em tamanho real do poeta. A estátua para Carlos Drummond de Andrade chegou ali no dia 30 de outubro de 2002 e se manteve na sua postura contemplativa e ajuizada.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre Carlos Drummond de Andrade, suas obras, sua vida e sua forte e importante contribuição para a literatura brasileira. Aproveite essas informações!