Chico Buarque de Holanda – Biografia, Teatro, Obras, Músicas e Poesias


É impossível não falar de Chico Buarque de Holanda sem citar que trata-se de um dos mais reconhecidos dramaturgos, músicos e escritores da atualidade brasileira. Conheça mais a vida e a obra do artista.

Quem foi Chico Buarque de Holanda?

Como mencionado, Chico Buarque de Holanda é um dos mais notórios escritores, músicos e dramaturgos brasileiro da atualidade. Suas obras tem reconhecimento nacional e internacional. Produziu cerca de 80 discos, além de livros e peças teatrais.

Nascimento e juventude

Chico Buarque de Holanda, batizado como Francisco Buarque de Holanda, nasceu na cidade do Rio de Janeiro, no dia 19 de junho de 1944. É filho do conceituado historiador Sérgio Buarque de Holanda e de Maria Amélia Cesário Alvim, também notória pianista.

No ano de 1946, aos dois anos de idade, Chico Buarque de Holanda mudou-se com a família para a cidade de São Paulo. Na ocasião seu pai ocupou o cargo de diretor do Museu do Ipiranga.


No ano de 1953, porém, Chico Buarque muda-se novamente com a sua família, dessa vez para a Itália. Seu pai passa a ser professor na Universidade de Roma. Alguns anos depois, a família volta para a capital paulista.

Nessa época, Chico Buarque de Holanda, ainda jovem, já revelava o seu grande interesse pela música, chegando a compor a peça “Umas Operetas” – cantando com as suas irmãs.

Suas influências musicais eram Ataúlfo Alves, Noel Rosa e João Gilberto.

No ano de 1963, com cerca de 20 anos de idade, Chico Buarque de Holanda entrou para o curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – USP) – quando começa a integrar movimentos estudantis de seu interesse.

Na mesma época, ele participou do show “Primeira Audição”, promovido pelo  Colégio Rio Branco. No evento, se apresentou com a música  “Marcha Para um Dia de Sol”. Pode-se considerar que essa apresentação marca a carreira de Chico Buarque – que viria a ser singular.

Biografia resumida de Chico Buarque de HolandaFoto de Chico Buarque de Holanda

Chico Buarque – Francisco Buarque de Holanda  – nasceu no dia 19 de junho de 1944, na cidade do Rio de Janeiro. É filho do professor de História Sérgio Buarque de Holanda e da pianista Maria Amélia Cesário Alvim.

Mudou-se no ano de 1946 para a cidade de São Paulo, com a família. Seu pai se torna, na ocasião, diretor do Museu do Ipiranga.

Viveu na capital paulista até 1953, quando foi para a Itália com a família – com cerca de 10 anos de idade. Seu pai, Sérgio Buarque de Holanda, começa a dar aulas na Universidade de Roma.

Anos depois, a família volta para São Paulo e Chico Buarque de Holanda, ainda jovem, já demonstrava o seu gosto pela música. Compôs a canção  “Umas Operetas”. Suas principais influências musicais eram Noel Rosas, Ataúlfo Alves e João Gilberto.

Aos 20 anos de idade, em 1963, Chico Buarque entra na USP, no curso de Arquitetura e Urbanismo. Passa a participar de diversos movimentos estudantis organizados na Universidade.

Ainda na Universidade, participou do evento musical “Balanço do Orfeu”, se apresentando com composição “Tem mais Samba”. A partir daí, começa a produzir diversas outras letras – dando início a sua excepcional carreira como artista.

Biografia de Chico Buarque de Holanda – Parte II

Já no ano de 1964, apresenta-se no programa de TV “Fino da Bossa”, que era apresentado por ninguém menos que a cantora. Elis Regina.  Chico Buarque logo ganhou reconhecimento junto ao público, como uma grande revelação musical da época.

Em 1965, Chico Buarque de Holanda lançou o seu 1 º disco, composto por músicas como “Sonho de um Carnaval” e “Pedro Pedreiro”. Na mesma época, produziu letras para o poema “Morte e Vida Severina” – do escritor João Cabral de Melo Neto. A composição foi apresentada no “IV Festival de Teatro Universitário de Nancy”, na França – onde Chico Buarque é premiado pelo público e pela crítica.

No ano de 1966, compôs a famosa canção “A Banda” – que foi interpretada por Nara Leão. Com a música de Chico Buarque, a cantora ganha o 1 º lugar no  “Festival de Música Popular Brasileira”.

Na mesma época, o músico lança o disco “Chico Buarque de Holanda”. O LP continha composições de Chico Buarque que já demonstravam a sua preocupação com questões sociais. Mas também foi formado por composições de caráter mais lírico, como “Carolina”, “Olê Olâ” e “A Banda”.

No mesmo ano do lançamento desse LP, o músico se casa com a atriz Marieta Severo. Do casamento, Chico Buarque de Holanda tem três filhas: Silvia, Luíza e Helena.

Biografia de Chico Buarque de Holanda – Parte III

No ano de 1967, o músico se muda para sua cidade natal, Rio de Janeiro. Nessa época, com seu talento já reconhecido pelo público, lançou o 2 º disco: “Chico Buarque de Holanda V.2”. É nesse mesmo ano também que Chico Buarque escreveu a aclamada e polêmica peça  “Roda Viva”. Ainda realiza uma parceria musical com Tom Jobim, com quem vence o “Festival Internacional da Canção”, com a música “Sabiá”.

No ano de 1969, envolvido com questões políticas, Chico Buarque faz parte da “Passeata dos Cem Mil” – que fazia oposição ao Regime Militar da época, que governava o país. Por esse motivo, o músico acaba sendo exilado e vai para Itália, onde permanece até o ano de 1970.

Na Itália, continuou produzindo e assinou um contrato com a gravadora local Philips. Lança um novo disco pela gravadora, com destaque para a composição “Apesar de Você”. O disco vendeu mais de 100 mil cópias, porém, sofreu censura, sendo retirado das lojas.

O músico passa um período sem se apresentar, depois da realização de um aclamado show no Teatro Castro Alves (1972), junto com Maria Betânia e Caetano Veloso, além de uma apresentação no famoso Canecão (Rio de Janeiro), no ano de 1975,

Biografia de Chico Buarque de Holanda – Final

Apesar de passar um longo tempo sem fazer shows, o músico não parou de produzir e, durante essa época, escreve a peça “Gota d’água”, contando com a parceria do escritor Paulo Pontes. A peça lhe confere a premiação “Molière”. Na mesma época da premiação, produziu a canção “Vai trabalhar vagabundo”, para um longa metragem de mesmo nome. Ainda fez “O que será”, para o famoso filme “Dona Flor e seus dois Maridos”.

No ano de 2005, o músico lançou a série musical “Chico Buarque Especial”. A coleção contava com 3 DVD’s. No trabalho, o músico fala sobre a sua vida e carreira.

Em 2011, Chico Buarque produz uma nova turnê nacional. Apresenta-se em diversas cidades do país, como no Palácio das Arte em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Atualmente o músico reside em Paris (França).

Protestos durante o regime militar

Chico Buarque teve diversas de suas produções censuradas durante o Regime Militar, chegando a ser ameaço – foi quando decidiu se exilar na Itália, onde ficou até 1970. Suas produções criticavam a situação social e cultural da época, o que não agradava o Regime Militar.

Exilado na Itália, continuou produzindo. Chegou, inclusive a realizar espetáculos, como o show onde se apresentou junto com o músico Toquinho. Nessa mesma época, suas composições “Apesar de você”, que fazia críticas negativas ao então presidente Emílio Garrastazu Médici, e “Cálice” foram censuradas pelo Regime Militar do Brasil.

Assim, o músico passou a adotar o pseudônimo Julinho da Adelaide. Com ele escreveu três canções: “Acorda amor”, “Milagre Brasileiro” e “Jorge Maravilha”. Ainda exilado na Itália, o músico fez amizade com o cantor  Lucio Dalla, com quem compôs algumas canções, como: “Gesù Bambino” (cujo título real dera 4 marzo 1943) e  “Minha História” (versão em português de 1970)  ,

Como mencionado, volta para o Brasil no ano de 1970, quando foi recebido com a comemoração de amigos e fãs. Ao voltar ao país, Chico Buarque de Holanda permaneceu compondo músicas que criticavam a situação cultural, social e econômica do país. Entre elas está a aclamada composição “Construção”.

Chico Buarque se apresentou junto com Caetano Veloso e Maria Bethânia. Enquanto isso, continuava a produzir músicas com críticas ao Regime Militar, com o pseudônimo de Julinho da Adelaide – como maneira de fugir da censura. Para proteger suas obras, o músico chegou a fazer uma carteira de identidade com o pseudônimo e conceder entrevistas para a imprensa da época.

Chico Buarque de Holanda também produziu a aclamada canção “Meu Caro Amigo”, em homenagem ao amigo Augusto Boal (exilado em Lisboa) e que fazia críticas ao Regime Militar.  A composição foi lançada em um LP de mesmo título, em 1976.

Principais obras de Chico Buarque na Música brasileiraDisco de Chico Buarque

Como já mencionado, o músico produziu mais de 80 discos (solo e em parcerias com outros músicos). Algumas das principais obras de Chico Buarque na música brasileira são:

  • João e Maria
  • Para Todos
  • Geni e o Zepelim
  • Construção
  • Roda Viva
  • Apesar de Você
  • Noite dos Mascarados
  • O Meu Amor
  • Quando o Carnaval Chegar
  • Cálice
  • Vai Passar
  • A Banda
  • Cotidiano
  • O Meu Guri
  • As Caravanas
  • Olhos Nos Olhos
  • O Que Será
  • Mulheres de Atenas
  • Dueto
  • Futuros Amantes
  • Tatuagem
  • Beatriz

Principais poesias de Chico Buarque

Chico Buarque de Holanda também dedicou parte de sua trajetória à composição de poesias (muitas transformadas em músicas). As principais poesias de Chico Buarque são:

  • O Caderno
  • Carolina
  • Pedaço de Mim
  • Trocando em Miúdos
  • Até Pensei
  • Quando Você me Quiser Rever
  • Atrás da Porta
  • Cadê você
  • Sem açúcar
  • Bastidores
  • Se eu Fosse teu Patrão
  • Desencontro
  • Aproveitando o Ensejo
  • Construção
  • Eu te Amo
  • Olhos nos Olhos
  • Hoje na Solidão
  • Por Favor, Deixe meu Coração em Paz
  • Pedaço de Mim
  • Soneto
  • Anjo Safado
  • De Todas as Maneiras

Peças teatrais mais renomadasCapa do álbum de Chico Buarque

Chico Buarque de Holanda ainda escreveu diversas peças teatrais. Entre elas podemos citar como as peças teatrais mais renomadas:

  • Ópera do Malandro
  • Os Saltimbancos (infantil)
  • Festa na Arca
  • Calabar: o Elogio da Traição
  • O Grande Circo Místico
  • Gota d’Água

Principais obras de Chico Buarque de Holanda na literatura

Além de músicas, poesias e peças, Chico Buarque se dedicou à literatura, publicando diversos livros. Entre as principais obras de Chico Buarque de Holanda na Literatura podemos citar:

  • Roda Viva
  • Calabar
  • A Bordo do Rui Barbosa
  • Ópera do Malandro
  • Leite Derramado
  • Budapeste
  • Chapeuzinho Amarelo (infantil)
  • Estorvo
  • O Irmão Alemão
  • Fazenda Modelo
  • Gota D’água
  • Turbulence
  • Suburbano Coração
  • Benjamim

Programas de televisão

Chico Buarque de Holanda negou-se a participar de programas de televisão, pois teve conflitos com a TV Excelsior. Isso ocorreu durante um ensaio para o programa do apresentador Chacrinha. Um dos produtores do programa teria feito uma sátira com a letra da sua composição “Pedro Pedreiro”: “Não dá para esse trem chegar mais cedo, não?” – criticando o fato da letra ter 60 versos.

O músico, então, extremamente irritado, se retirou e não se apresentou. Por esse motivo, na época, Boni, executivo da Rede Globo de Televisão, vetou qualquer tipo de referência a Chico `Buarque de Holanda. Porém, o conflito durou apenas alguns anos, sendo que, no começo da década de 1980, diversas novelas do canal de TV tinham músicas de Chico Buarque em suas trilhas musicais.

O músico, depois dessa fase do conflito,chegou a se apresentar na Rede Globo, junto com outros artistas.

Pergunta dos leitores

Chico Buarque de Holanda morreu?

Não, Chico Buarque de Holanda ainda vive e continua produzindo. Atualmente, o artista mora em Paris, na França.