Biografia da Cleópatra – Quem Foi? Qual Sua História? Como ela Morreu?


Cleópatra foi a rainha do Egito, amante de Júlio César e de Marco Antônio. Sedutora, inteligente, ela manteve o reino de pé. Embora desejasse muito governar sozinha, sempre teve que dividir o trono com outros homens. Conheça um pouco mais sobre a encantadora história dessa mulher tão importante da história.

Quem foi a Cleópatra?

Cleópatra foi uma das mais famosas mulheres da história. Nasceu em 69 a. C. Ela era filha de Ptolomeu XII e sua irmã. Aos 17 anos, Cleópatra subiu ao trono egípcio, depois que seu pai morreu. No entanto, ela teve que dividir o trono com o seu irmão, que se chamava Ptolomeu XIII. Os dois se casaram mais tarde. E, depois, ainda dividiu o trono com Ptolomeu XIV.

A beleza da rainha não era o seu único atrativo. Ela era uma mulher muito inteligente, que falava vários idiomas, gostava de literatura e de ciência.

História de Cleópatra

Cleópatra era uma mulher muito vaidosa.  Muito bonita e também inteligente. Sempre se enfeitava com muito ouro e com pedras preciosas. Algumas das jóias ela encomendava de artesãos e outras ela ganhava de conhecidos e de parentes.


A luta de Cleópatra com seus irmãos pelo trono e pelo poder causou uma grande instabilidade econômica e política no Egito. Devido aos problemas, ela foi exilada e pediu o auxílio de Roma.

Cleopatra no reino

Cleópatra e Júlio César

Depois do exílio, que era uma mulher extremamente sedutora, armou um plano para conquistar Júlio César. Ela foi embrulhada em um tapete como um presente e entregue para Júlio César. Ao desenrolar o embrulho, Cleópatra disse a ele que havia ficado muito impressionada com suas histórias amorosas e desejou conhecê-lo. Os dois tornaram-se amantes e, juntos, assassinaram o irmão dela. Tornando-se rainha, foi para Roma, e ganhou seu filho Cesarion.

Após a morte de Júlio César, Cleópatra voltou para sua terra natal. Foi então que ficou sabendo da importante posição que Marco Antônio ocupava na Anatólia, ele governava a porção oriental do Império Romano. Novamente, ela usou a arte da sedução e tornou-se amante de Marco Antônio também, em 37 a.C.

Cleópatra e Marco Antônio tiveram dois filhos. E, em troca, ele devolveu para ela territórios de Cirene e também outros que, naquele momento, eram dominados pelo Império Romano. O Senado, então, ficou de tal modo incomodado com a submissão de Marco Antônio, devolvendo as terras para ela, que declarou guerra aos dois.

Homenagens ao longo do tempo

– Elizabeth Taylor interpretou no cinema, no filme intitulado “Cleópatra. – A rainha egípcia”. Lançado em 1963 e com 242 minutos de duração, o filme tornou-se um verdadeiro clássico do cinema.

Morte de Cleópatra

Cleópatra deixou-se picar por uma cobra após a derrota que sofreu de Otávio, durante a batalha naval de Ácio. Ela suicidou em Alexandria, em 30 a.C. Logo após, Roma voltou a dominar o Egito.

Curiosidades

representação da Cleopatra

– Ninguém sabe, exatamente, como era a aparência da rainha. Os retratos dela foram feitos somente muitos séculos após a sua morte. Os relatos dizem que ela era realmente muito linda, atraente e sedutora. Porém, também a quem dica que ela não era nada atraente.

– Cleópatra e Marco Antônio criaram o clube da bebedeira. Conta-se que eram feitas muitas festas nesse clube o ano todo, cheias de bebidas e de comidas.

– O que a maioria dos historiadores dizem é que Cleópatra teria morrido por uma picada de cobra. Porém, há quem conteste essa história. Para Plutarco, filósofo e historiador (primeira década século 1 depois de Cristo), Cleópatra sempre tinha escondido nas roupas um potente veneno. Outros historiadores, ainda, acreditam que ela teria mergulhado um alfinete no veneno da cobra e se espetado em seguida.

– mesmo tendo nascido no Egito, era de origem familiar da Macedônia. Segundo conta, a família dela teria chegado ao poder após a morte de Alexandre, O Grande. Ptolomeu I, em 323 a.C., era um dos generais do imperador, e assumiu o governo. Depois desse episódio, começou a dinastia da família Ptolomeu. Porém, mesmo não sendo egípcia por natureza, ela abraçou de verdade os costumes antigos do país. Além do mais, ela também foi a governante pioneira em aprender a falar a língua do Egito.