Dom Pedro I – Biografia, Nome Completo, “Independência ou morte”


Dom Pedro I – conhecido também como Pedro I do Brasil – foi o primeiro governante do Brasil (Imperador). Ele comandou o país de 1822 e 1831.

Também foi quem declarou a Independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1822. Dom Pedro I ainda foi responsável por outorgar a primeira Constituição Brasileira – no ano de 1824.

Infância e juventude

Dom Pedro I nasceu no ano de 1798, no Palácio de Queluz (Portugal), no dia 12 de outubro. Passou os primeiros anos de sua vida no Palácio onde nascera. Vivia cercado professores, que lhe passavam os primeiros ensinamentos.

Aos 9 anos de idade chegou ao Brasil, juntamente com a família real de Portugal. A família fugia das tropas de Napoleão. Decidiu, então, instalar-se na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro.


O herdeiro do trono português cresceu e tornou-se um jovem. Dom Pedro, em sua juventude, já dominava o latim e assim lia clássicos da antiguidade. Também estudava francês, inglês, música e artes em geral. O jovem demonstrava saber sobre muitas coisas, embora muitos o consideravam inculto. Isso devido à aversão que ele tinha pelas normas formais de estudo.

Ainda jovem, Dom Pedro teria, inclusive composto e tocado peças. O jovem ainda se dedicava ao esporte de equitação. Porém,   era avesso aos estudos tradicionais. Assim, Dom Pedro I preferia os jardins do Palácio de São Cristóvão e da fazenda Santa Cruz.

No ano de 1816 seu pai Dom João VI é aclamado Rei de Portugal. Dom Pedro passa, então, a ser o Príncipe Real. Como seu irmão mais velho, Antonio, falecera, passou a pertencer a ele a herança do trono português.

Alguns historiadores afirmam que Pedro I era um jovem conquistador. Mesmo se casando, posteriormente, com a filha do Imperador da Áustria, Carolina Josefa Leopoldina, mantinha diversos romances paralelos. Um dos mais famosos fora o seu caso com a Marquesa de Santos.

Dom Pedro I Entre Brasil e PortugalDom Pedro I

Dom Pedro I governou o Brasil como príncipe regente entre os anos de 1821 e 1822. Mesmo sendo um pequeno período de tempo, seu governo contou com diversas transformações.

Na ocasião, o pai do príncipe regente, Dom João VI, deixara o governo completamente em sob seu comando para que se deve início a um processo de reforma política que acontecia em Portugal. No Brasil, tais reformas tiveram consequências históricas importantes.

A chegada de Dom João VI em 1808 mudou completamente as condições econômicas do Brasil. Uma delas foi a desobrigação do Brasil em manter negócios somente com Portugal – com isso produtores agrícolas brasileiros conquistaram lucros muito mais significativos nesse livre-mercado. Também aconteceu a entrada de produtos da Inglaterra no Brasil, o que marcou um novo padrão de consumo no país.

Portugal tentava, então, reestruturar a sua economia. As Cortes em Portugal acreditavam, porém, que a manutenção das relações coloniais eram importantes para a economia do país. Isso significava interromper a liberdade econômica que o Brasil ganhava com a chegada do governo de Dom João.

Fundação do Partido Brasileiro

Frente a esse conflito Brasil X Portugal, os aristocratas brasileiros fundaram o  Partido Brasileiro. Um dos objetivos deste grupo era reunir forças para preservar a liberdade econômica do território.

Uma das primeiras ações do partido foi reunir assinaturas que pediam a permanência de Dom Pedro no Brasil. Essa manifestação fora uma resposta ao pedido formal das Cortes Portuguesas pelo retorno do príncipe regente a  Portugal. Satisfeito com o controle político que exercia sobre o país, Dom Pedro I, em janeiro de 1822, declara sua fidelidade ao povo brasileiro. Tal episódio ficou conhecido como o “Dia do Fico”.

Dom Pedro I também decidiu por demitir todos os portugueses que faziam parte do conselho de Ministros. Formou, assim, uma nova equipe composta somente por brasileiros. Já em maio de 1822, os ministros brasileiros fundaram o “Cumpra-se”.

Tal medida previa que toda ordem vinda de Portugal somente seria cumprida com  aprovação de Dom Pedro I. Isso reforçava o apoio dos brasileiros ao príncipe regente, que fora declarado “defensor perpétuo do Brasil”.

Dom Pedro I , em  junho de 1822, estabeleceu uma  Assembléia Constituinte – que formava um conjunto de leis que deveriam ser seguidas em todo o Brasil. Com essa medida se tornava clara a diferença dos interesses do Brasil e de Portugal.

No mês agosto do mesmo ano, o governo português mandou ao Brasil um novo decreto. Tal medida anulava as decisões do príncipe regente e exigia, novamente, a sua volta a Portugal.

Frente a esse documento e aconselhado por José Bonifácio e sua esposa, Dona Leopoldina, Dom Pedro não enxergava outra alternativa a não ser declarar a independência do Brasil. E, então, na tarde de 7 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga, Dom Pedro proclama o país independente de Portugal.

“Independência ou morte”

A Independência do Brasil ocorreu no dia 7 de setembro de 1822. Tal fato significou que a partir daquele momento o Brasil deixara de ser uma colônia portuguesa, tendo liberdade política e econômica.

A declaração oficial foi feita por Dom Pedro I. O “Grito da Independência” se tornou famoso. De acordo com a História ele foi feito as margens do rio Ipiranga, com a declaração do príncipe regente de “Independência ou Morte”. Dom Pedro I se torna, então, o primeiro imperador do Brasil.

10 anos de governo brasileiro

O nome dado ao período que Dom Pedro primeiro governou o Brasil é  “Primeiro Reinado”. Dom Pedro governou o país até 7 de abril de 1831 – quando abdicou ao trono brasileiro.

O período do governo de Dom Pedro I foi marcado por uma série de transições, incluindo uma grande crise econômica,  financeira, social e política. Apesar da independência do Brasil ter acontecido em 1922, sua real consolidação ocorreria somente em 1831, quando Dom Pedro abdica o trono brasileiro.

Seria incorreto, portanto, se referir a esse período como o “Primeiro Império” – haja vista que o Brasil teve somente um período imperial. O período imperial foi dividido entre reinado, período regencial e segundo reinado. Não houve um “Segundo Império” para, considerar-se um “Primeiro Império”

Os episódios que mais se destacaram nos 10 anos de governo de Dom Pedro I foram “O Dia do Fico” e o “Grito da Independência”.

Guerra civil portuguesa

A Guerra Civil Portuguesa é conhecida também como “Guerras Liberais”, “Guerra Miguelista” ou “Guerra dos Dois Irmãos”. Tratou-se de um conflito travado entre Portugal e os liberais absolutistas em relação a sucessão real. A conflito durou de 1828 a 1834, enquanto Dom Pedro I permanecia no Brasil.

A Guerra civil portuguesa foi marcada por diversas batalhas, entre elas podemos citar:

  • Combate do Pico do Seleiro, ilha Terceira (4 de outubro de 1828)
  • Batalha da Praia da Vitória, ilha Terceira (11 de agosto de 1829)
  • Recontro da Ladeira do Gato, ilha de São Jorge (abril de 1831)
  • Combate da Ladeira da Velha, ilha de São Miguel (3 de agosto de 1831)
  • Cerco do Porto (Julho 1832 – Agosto 1833)
  • Batalha da Ponte Ferreira, freguesia de Campo, concelho de Valongo (23 de Julho de 1832)
  • Batalha do Cabo de São Vicente (5 de Julho de 1833)
  • Batalha da Cova da Piedade (23 de Julho de 1833)
  • Batalha de Alcácer do Sal (2 de Novembro de 1833)
  • Batalha de Pernes (30 de Janeiro de 1834)Batalha de Almoster (18 de Fevereiro de 1834)
  • Batalha de Santo Tirso (26 de Março de 1834)
  • Batalha de Sant’Ana (24 de Abril de 1834)
  • Batalha de Asseiceira (16 de Maio de 1834)
  • Combates da Formiga, cidade de Ermesinde, concelho de Valongo (data desconhecida, embora seja provável ter acontecido poucos dias antes da Batalha da Ponte Ferreira ou até no mesmo dia) 

A renunciação de Dom Pedro I

A renunciação de Dom Pedro I ao trono brasileiro aconteceu em 7 de abril de 1831. A abdicação ao trono marca o fim do Primeiro Reinado e o começo do Período Regencial do Brasil.

Morte de Dom Pedro I

Dom Pedro I faleceu no dia 24 de setembro de 1834, vítima de tuberculose.

Seu legado

Além da Independência do Brasil, ao abdicar ao trono em 1931, Dom Pedro I deixou o país como a maior potência latino-americana da época. Ainda deixou um exército bem equipado e preparado, com mais de 24 mil homens. Já a Marinha somava mais de 80 navios de guerra.

Além disso, o Brasil passa a receber importantes investimentos na indústria, por incentivos criados em 1826, por Dom Pedro I.

O país contava com liberdade de imprensa, respeito aos direitos individuais e diversas eleições para decidir os rumos da nação.

Pergunta dos leitores

Qual o nome completo de Dom Pedro I?

Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon.

Quantos filhos Dom Pedro I teve?

Dom Pedro I teve, oficialmente, 11 filhos – frutos de 2 casamentos.