Giuseppe Verdi – Biografia, Principais Composições, Curiosidades


Vamos conhecer um pouco da vida e da carreira de Giuseppe Verdi. Um grande artista e um dos compositores de maior influência do século XIX. No período romântico, o maior compositor nacionalista da Itália.

Infância e juventude

Giuseppe Verdi nasceu em Roncole di Busseto, conhecida hoje como Roncole Verdi. Em ducado de Parma, na Itália, em 10 de outubro de 1813. Era de família humilde. Quando seu pai percebeu que ele tinha muito interesse pela música, o presenteou com uma espineta, instrumento formado por teclado e corda, parecido com o cravo. Não foi fácil para o pai conseguir comprar o instrumento.

Já com 12 anos, Verdi já era o organista na igreja que frequentava em sua cidade de origem. O primeiro maestro de Verdi foi Don Pietro Baistrocchi, o  organista da sua cidade natal.

Giuseppe se casou com Margherita Barezzi, filha de seu padrinho artístico. Tiveram dois filhos. Porém, aconteceram sucessivas tragédias na época do lançamento de sua primeira época “Oberto, conde de San Bonifácio”. Sua filha Vírgínia morreu em 1838. No ano seguinte, morre seu filho Icílio, e já no próximo ano, em 1840, sua esposa também morreu.


Após a morte de Margherita, ainda em 1840, Giuseppe conheceu Giuseppina, que era uma soprano, com quem iniciou um romance. A vida em comum que levavam sem estarem casados era um escândalo para a sociedade daquela época. No dia 29 de agosto de 1859, eles se casaram perto de Genebra, em Collonges-sous-Salève.

Giuseppe comprou Giuseppe Verdi biografiauma propriedade a duas milhas de Busseto, onde morava com Giuseppina, para os pais dele. Em 1851, após perder sua mãe, ele transformou Villa Verdi San’tAgata na Villanova sull’Arca, onde viveu até seus últimos dias.

Inicio de carreira de Giuseppe Verdi

O comerciante Barezzi resolveu financiar os estudos de Verdi, que seguiu para Milão, pois havia conseguido uma bolsa de estudos em Monte di Pietà, uma instituição sem fins lucrativos, e contou com o subsídio de Barezzi.

Em 1828, Giuseppe compôs uma sinfonia que se inspirava na obra de Rossini “O Barbeiro de Sevilha”. Naquele tempo, ele estava com apenas 15 anos.

Já com 19 anos, tentou entrar no Conservatório de Milão, mas o diretor recusou Giuseppe Verdi. Continuou estudando com professores particulares, graças ao comerciante Barezzi. Quem ministrava as aulas era o maestro de cravo Vincenzo Lavigna, do Teatro alla Scala de Milão. Vincenzo também dava aulas de solfejo do Conservatório.

No entanto, ao atingir a fama, o diretor do Conservatório foi duramente criticado por não ter tido visão, e não ter percebido que estava diante de um grande talento. Giuseppe Verdi tornou-se o maior músico italiano no século XIX.

No ano de 1838, Verdi, já casado, foi morar em Milão com sua família, onde assinou contrato com Ricordi, a casa de edições musicais. E ainda estreou como compositor de óperas.

Inspirações e fatores externos

Giuseppe Verdi procurou seus talentos particulares. Grande parte de suas obras são exemplos de repertório padrão. Seus temas eram de heroísmo, amor e liberdade.

Obtendo reconhecimento

No ano de 1842, Giuseppe fez muito sucesso com a ópera “Nabuco”. A obra relatava o conflito entre os judeus e os assírios. Os italianos ficaram alvoroçados, pois viam na obra grande semelhança om os judeus e sua luta contra a opressão austríaca.

Naquela época, os dominantes da ópera italiana eram Donizetti, Rossini e Bellini, que permitiam, através de suas obras, que os cantores explorassem seus talentos de várias formas.

Em se falando de popularidade, não houve outro compositor que se igualasse a Verdi. Talvez o compositor italiano de ópera Giacomo Puccini, mas não se tem certeza.

Principais composições de Giuseppe Verdi

As óperas mais famosas de Giuseppe Verdi são Rigoletto, de 1851; Il Trovatore, 1853 e La Traviata, de 1853, Aida e Otello, Simon Bocanegra, Un ballo in maschera, Falstaff e La forza del destino. Até hoje são as obras mais famosas em todo o mundo. E todas dele.

Estilo musical

O estilo musical de Giuseppe Verdi foi influenciado pelo compositor italiano Giuseppe Saveiro Raffaele, pelo compositor e maestro alemão Giacomo Meyerbeer, pelo compositor italiano de óperas Domenico Gaetano Maria Donizetti, pelo compositor erudito italiano Gioachino Antonio Rossini e pelo compositor italiano Vincenzo Salvatore Carmelo Francesco.

Fim de carreira e a morte de Giuseppe VerdiGiuseppe Verdi

A última ópera de Giuseppe Verdi foi “Falstaff, que era baseada na obra de Shakeaspeare “The Merry Wives of Windsor”. Um trabalho que alcançou sucesso internacional. No ano de 1894, Giuseppe compôs seu último trabalho puramente orquestral, que era um pequeno balé para produção francesa da ópera Otello. Já em 1897, ele terminou sua obra sacra que era baseada nos textos em latim da prece católica. Sua última composição, Quattro Pezzi Sacri. Verdi compôs quatro obras sacras: “Ave Maria”, “Laudi alla Vergine Maria”, “Stabat Mater” e “Te Deum”.

Em 21 de janeiro de 1901, Giuseppe Verdi encontrava-se hospedado no Grande Hotel de Milão. Ele sofreu um derrame e veio a falecer após seis dias, em 27 de janeiro. Em seu funeral, houve a maior união de artistas da música em toda a história da Itália, até os dias de hoje. Uma enorme orquestra e coros de toda Itália foi conduzida pelo maestro italiano Arturo Toscanini.

Curiosidades

Algumas curiosidades da vida de Verdi:

  • Giuseppe Verdi deixou um testamento doando sua enorme fortuna para uma fundação que ajuda músicos pobres.
  • Além de óperas, ele compôs também sinfonias, marchas, música secular e eclesiástica.
  • Em sua ópera Othello, foi acusado, injustamente, de ter copiado o estilo de Wagner.
  • O Conservatório de Milão, que não aceitou a entrada de Verdi, queria fazer uma homenagem a ele renomeando-o com o nome do compositor, devido a sua grande popularidade. Ele, no entanto, disse essas palavras: “Eles não me amaram como jovem, não sei por quê. eles me amam como um homem velho.”
  • Hoje, o Conservatório se chama Conservatório de Música Giuseppe Verdi de Milão.