Gustav Klimt – Biografia, Características Artísticas e Maiores Obras


Gustav Klimt foi um importante desenhista, pintor e ilustrador austríaco. Também foi um simbolista de grandes nomes da Art Nouveau.

O artista ainda foi uma espécie de precursor do movimento cultural e artístico vienense moderno. O movimento ficou conhecido como “Movimento da Secessão de Viena”. Neste movimento, vários artistas se reuniam para fazer oposição aos estilos classicistas e acadêmicos. Ainda se aliaram com o movimento cultural simbolista de artes.

Pode-se considerar que Klimt foi um extravagante artista. Sua obra de maior destaque é “O Beijo” (de 1908).

Infância e juventude

Gustav Klimt nasceu no dia 14 de julho de 1862, na cidade de Baumgarten. Era filho de um ourives (Ernest Klimt) e uma cantora (Anna Flinster Klimt). Sua família tinha baixo poder aquisitivo, mas colocou Klimt em contato com a arte desde a sua infância.


Klimt  estudou na “Escola de Artes e Ofícios de Viena”. Seu ingresso na escola marca o começo de sua carreira como desenhista O artista começou a produzir desenhos e retratos para vender.

O artista também foi auxiliar de seu professor, na produção de murais artísticos. Em pouco tempo, Klimt  já passou a receber propostas de trabalho. Aos 18 anos, junto com seu irmão, abriu um ateliê, recebendo várias encomendas de desenhos.

Nessa época, seu talento para o desenho já começava a ganhar destaque. Seus retratos se diferenciavam muito dos outros.Foto de Gustav Klimt

Assim, Klimt passa se reunir com outros notórios artistas, que também estavam decididos a abandonar os estilos academicistas e conservadores das artes. No ano de 1890, Klimt foi um dos fundadores da “Associação Austríaca de Artistas Figurativos”.

Infância e juventude – Parte II

Klimt  possuía um estilo singular e totalmente decorativo de produzir – o que foi fundamental para que ele recebesse diversas encomendas de pinturas para painéis, murais, prédios públicos, entre outros. Algumas de suas obras foram realizadas, por exemplo,  no Teatro Municipal, na Universidade de Viena e o Museu Histórico da Arte.

No ano de 1900, Gustav Klimt é premiado com “Grande Prêmio na Feira Mundial de Paris”. Já no ano de 1907, passa a liderar o “Movimento da Secessão de Viena” – foi quando engajou-se na Art Nouveau.

Esse movimento contava com a participação de diversos artistas, que fundaram a publicação “Ver Sacrum”. Nela, Klimt participou com algumas de suas obras, como ilustrador e desenhista.

Nessa mesma época, Klimt produziu muitos retratos, em especial de mulheres nuas em poses sensuais e, em algumas, até obscenas. Devido a isso, o artista recebeu diversas críticas da sociedade vienense da ocasião.

O artista participou, em 1910, da Bienal de Viena. Também foi premiado na “Exposição Internacional de Roma”, no ano de 1911. Já no ano de 1917, Klimt foi escolhido como componente honroso da Academia de Arte de Viena, pelas suas obras notórias.

Início de carreira

Pode-se considerar como o início da carreira de Gustav Klimt o momento em que foi escolhido para ser auxiliar de seu professor na “Escola de Artes e Ofícios de Viena”. Nessa época, já começou a demonstrar seu talento único e extravagante de desenhar e ilustrar.

Continuou expressando o seu talento, quando aos 18 anos, inaugurou um ateliê de artes, junto com seu irmão. As encomendas chegavam aos montes. É nessa mesma época que seus trabalhos começam a serem reconhecidos por parte da sociedade vienense, por se diferenciarem dos demais.

Fases artísticas

A trajetória artística de Gustav Klimt é dividida em duas fases: a Fase Histórico-Realista e a Fase Dourada.

Na Fase Histórico-Realista, estão incluídas obras de caráter histórico, como o próprio nome já revela. Já a Fase Dourada conta com obras de caráter mais decorativo, como o uso da cor dourada e a produção de retratos diversos.

Na segunda fase – que foi a de maior destaque – as obras de Klimt apresentam tendências extremamente eróticas e sensuais. Na Fase Dourada, a figura feminina é extremamente valorizada. Devido a isso, o artista chegou a ser muito criticado por segmentos mais tradicionalistas da sociedade da época.

As obras dessa fase também se caracterizam pelo uso de muitas formas geométricas e um forte caráter de decoração. Klimt produziu diversos retratos de mulheres nuas em meio a paisagem carregadas de detalhes, como flores e ornamentos.

Além disso, destaca-se em suas obras da segunda fase, o uso marcante das nuances prateadas e douradas – o que aproxima os trabalhos do artista da arte Bizantina.

Maiores obras de Gustav KlimtObra de Gustav Klimt O Beijo

Entre as maiores obras de Gustav Klimt, podemos citar:

  • O friso de Beethoven (1902)
  • Judith I (1902-1907)
  • Danaë (1907-1908)
  • Retrato de Adele Bloch-Bauer (1907)
  • O Beijo (1907-1908)
  • Esperança II (1907-1908)
  • Árvore da Vida (1909)
  • O Chapéu de Plumas Negras (1910)
  • A Virgem (1913)
  • A Vida e a Morte (1916)

Principais características artísticas

Como já mencionado, as obras do artista podem ser dividas em duas fases: a Fase Histórico-Realista e a Fase Dourada. A fase de maior destaque, porém, foi a segunda, a Fase Dourada.

As principais características artísticas de Gustav Klimt podem ser explicadas por um estilo próprio de pintar, desenhar e ilustrar. Destaca-se o uso de cores fortes e vibrantes, como o dourado e o prateado. Já em relação ao conteúdo de suas obras, podemos destacar a produção extravagante, onde o sensualismo e o erotismo femininos são explorados ao máximo.

Junto a mulheres nuas e em poses sensuais, Klimt costumava lançar mão de cenários extremamente vibrantes e coloridos – repletos de elementos da natureza e adornos. Como também já foi mencionado, essas características artísticas de Gustav Klimt lhe rendeu diversas críticas negativas da sociedade conservadora da época.

Também entre as principais características artísticas dessa segunda fase do artista podemos destacar o uso de formas geométricas. Isso dava traços ainda mais marcantes às obras produzidas por Klimt.

Fim de carreira e morte

Klimt ainda muda seu estilo mais uma vez. Isso acontece com o falecimento de sua mãe, no ano de 1915. Suas obras se tornam, então, mais sombrias, com o retrato de paisagens monocromáticas.

No ano de 1916, o artista participou da exposição da “Associação de Artistas Austríacos” (Bund Österreichischer Kunstler), na Secessão de Berlim, juntamente com Kokoschka, Egon Shiele e Anton Faistauer.

Gustav Klimt faleceu no dia 6 de fevereiro de 1918, de acidente vascular cerebral (AVC) – alguns meses antes da decadência do Império Austro-Húngaro. O artista foi sepultado no Cemitério de Hietzing (Viena). Klimt morreu deixando diversas  sem finalizar, como: “A noiva”,  “O retrato de Johanna Staude” e “Adão e Eva”.