Biografia de Machado de Assis – Quem Foi? Principais Obras e Frases!


Vamos conhecer um pouco mais sobre a história de Machado de Assis, escritor brasileiro de renome. Deixou um grande legado, onde inclui-se vários contos, romances, peças de teatro, poesias, crônicas, críticas e também correspondências.

Quem foi Machado de Assis?

Machado de Assis, escritor brasileiro. Ele escreveu poesias, contos, romances, crônicas, peças de teatro, e muito mais. Ele nasceu numa chácara, situada no Morro do Livramento, Rio de Janeiro, em 21 de junho de 1839.

Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Sua mãe, Maria Leopoldina Machado de Assis, era lavadeira, portuguesa da Ilha dos Açores. Seu pai se chamava Francisco José de Assis, pintor de paredes, mulato.

Infância e juventude

Sua mãe faleceu quando ainda era uma criança. E seu pai casou-se novamente. Machado de Assis começou a vender doces como uma maneira de ajudar nas despesas da casa. Ele estudou por um breve período em escola pública. Aprendeu com uma amiga a falar francês.


Perdeu seu pai em 1851. Ele frequentava a livraria Francisco de Paula Brito no ano de 1855. Nessa mesma livraria era publicada a revista Marmota Fluminense, em que foi publicado o seu poema “Ela” no número 21 da revista.

Início de carreira de Machado de Assis

uma imagem de Machado de Assis

Machado de Assis trabalhou como aprendiz de tipógrafo na Tipografia Nacional no ano de 1856 até 1858. Lá, ele se tornou amigo do escritor Manuel Antônio de Almeida.

Em 1858, ele voltou e se tornou revisor na livraria Francisco de Paula Brito. Foi quando começou a frequentar a boemia de intelectuais do Rio de Janeiro. No entanto, não deixou de lado a literatura. Em pouco tempo, ele começou escrever para revistas e jornais, como o Jornal do Comércio, Revista Ilustrada e Gazeta Notícias.

Seu primeiro livro de poesias foi publicado em 1864, e se chamava “Crisálidas”. Sua carreira como funcionário público teve início em 1867.  Quintino Bocaiuva, jornalista, indicou Machado de Assis, e ele tornou-se redator do Diário Oficial. Foi promovido em pouco tempo a assistente de diretor.

Casamento

Machado de Assis se casou com Carolina Augusta Xavier de Novais no ano de 1869. Ela foi uma grande incentivadora para a sua carreira literária. Seu primeiro romance, intitulado “Ressurreição” foi publicado em 1872.

Como funcionário público, teve rápida ascensão. Passou a primeiro oficial da Secretaria da Agricultura. Em apenas três meses, passou a ser chefe de uma seção.

Início na vida acadêmica

Tendo como inspiração a Academia Francesa, o grupo formado pelos intelectuais da Revista Brasileira, junto com Machado de Assis, Lúcio de Mendonça e Medeiros de Albuquerque, fundaram a Academia Brasileira de Letras, em 1897. A intensão era cultuar a literatura nacional e a cultura brasileira como um todo.

No auge da sua carreira

Em 1880, sua obra passou por uma grande mudança, no que diz respeito a estilo e a conteúdo. Foi aí que surgiu, na nossa literatura, o Realismo. Ele era um grande crítico, fazia profundas reflexões sobre no que diz respeito à sociedade brasileira, usava de grande ironia e pessimismo. Machado de Assis foi o primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras.

Principais obras de Machado de Assis

Foram muitos os trabalhos de Machado de Assis. Conheça abaixo os principais deles:

  • 1861 – Desencanto – Peça de teatro
  • 1861 – Queda que as mulheres têm pelos Tolos – Peça de teatro
  • 1864 – Quase Ministro – Peça de teatro
  • 1864 – Crisálidas – Poesia
  • 1866 – Os Deuses de Casaca – Peça de teatro
  • 1870 – Contos Fluminenses – Conto
  • 1870 – Falenas – Poesia
  • 1872 – Ressurreição – Romance
  • 1873 – História da Meia Noite – Conto
  • 1874 – A Mão e a Luva – Romance
  • 1875 – Americanas – Poesia
  • 1876 – Helena – Romance
  • 1878 – Iaiá Garcia – Romance
  • 1881 – Memórias Póstumas de Brás Cubas – Romance
  • 1881 – Tu, Só Tu, Puro Amor – Peça de teatro
  • 1882 – Papéis Avulsos – Conto
  • 1884 – Histórias Sem Data – Conto
  • 1889 – Páginas Recolhidas – Conto
  • 1891 – Quincas Borba – Romance
  • 1896 – Várias Histórias – Conto
  • 1899 – Dom Casmurro – Romance
  • 1901 – Poesias Completas
  • 1904 – Esaú e Jacó – Romance
  • 1906 – Relíquias da Casa Velha – Conto
  • 1908 – Memorial d Aires – Romance

Machado de Assis em pintura

Maiores frases de Machado de Assis

Conheça abaixo uma relação com algumas das maiores frases de Machado de Assis:

  • “Botas… as botas apertadas são uma das maiores venturas da terra, porque, fazendo doer os pés, dão azo ao prazer de as descalçar.”
  • “Eu gosto de olhos que sorriem, de gestos que se desculpam, de toques que sabem conversar e de silêncios que se declaram.”
  • “É melhor, muito melhor, contentar-se com a realidade; se ela não é tão brilhante como os sonhos, tem pelo menos a vantagem de existir.”
  • “Cada qual sabe amar a seu modo; o modo, pouco importa; o essencial é que saiba amar.”
  • “Creia em si, mas não duvide sempre dos outros.A vida sem luta é um mar morto no centro do organismo universal.”
  • “Sonharás uns amores de romance, quase impossíveis. Digo-lhe que faz mal, que é melhor contentar-se com a realidade; se ela não é brilhante como os sonhos, tem pelo menos a vantagem de existir.”
  • “Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho, Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!”
  • “O esperado nos mantém fortes, firmes e em pé. O inesperado nos torna frágeis e propõe recomeços.”
  • “Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito.”

Morte de Machado de Assis e seus últimos anos de vida

Carolina Augusta Xavier de Novais, a esposa de Machado de Assis, morreu em outubro de 1904. Além de ser a sua esposa e de revisar as suas obras, ela também era sua enfermeira particular. Cuidava da saúde do autor, pois ele tinha epilepsia.

O autor escreveu o poema “A Carolina” para homenagear a sua amada. Machado de Assis pouco saía casa. Ele faleceu  em 29 de setembro de 1908, e sepultado na cidade de São João Batista, cidade em que nasceu e passou a vida inteira.