Biografia de Mário Quintana – Quem Foi? Principais Frases e Poemas!


A literatura brasileira é cheia de nomes ilustres, autores de obras riquíssimas. Um desses importantes nomes é o de Mario Quintana.

Então para saber um pouco mais sobre ele, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre esse maravilhoso autor. Vamos lá?!

Quem foi Mário Quintana?

Mario de Miranda Quintana, ou somente Mario Quintana, foi um importante poeta, jornalista e tradutor brasileiro. Seu nascimento ocorreu na cidade de Alegrete, no Rio Grande do Sul, no ano de 1906. Ele faleceu em Porto Alegre em maio de 1994.

Juventude e início de carreira

Mario Quintana nasceu na cidade de Alegrete, no Rio Grande do Sul, no dia 30 de julho de 1906. Ele foi um importante jornalista, escritor e poeta gaúcho. Além disso, trabalhou também com como tradutor de importantes obras literárias.


Ele escrevia sempre sobre as coisas simples da vida, mas com uma pitada e ironia e buscando a perfeição técnica.

No ano de 1919, ele Se mudou para Porto Alegre, capital do estado, para estudar no colégio militar. Foi lá que iniciou a escrita e deu origem aos seus primeiros textos literários. Já no ano de 1925, ele voltou para Alegrete e começou a trabalhar na farmácia do se pai.

Um ano depois, em 1926, sua mãe, Virgínia de Miranda Quintana veio a falecer. No ano seguinte, foi seu pai, Celso de Oliveira Quintana, que veio a óbito.

fotografia de Mario Quintana

O poeta das coisas simples

Ele era considerado um “poeta das coisas simples”. Seu estilo era marcado pela ironia e a constante busca pela perfeição da técnica. Quase toda a sua vida foi trabalhando como jornalista. Ao todo, ele traduziu mais de 130 obras da literatura mundial.

No ano de 1953 ele começou a trabalhar para o jornal “Correio do Povo”. Ele era um dos colunistas da página de cultura, publicada todos os sábados. No ano de 1977 sua obra saiu desse jornal.

Em 1940 ocorreu o lançamento do seu primeiro livro de poesias, chamado “A rua dos cataventos”. Foi então que a sua carreira se iniciou como escritor, poeta e autor infantil.

Em 1966, ocorreu a publicação da sua “Antologia Poética”. Ela contava com 60 poemas e foi organizada por Rubem Braga junto com Paulo Mendes Campos. O lançamento ocorreu em comemoração dos seus sessenta anos de idade.

Justamente por ela que Manuel Bandeira e Augusto Meyer saudaram Mario Quintana na Academia Brasileira de Letras, recitando o poema “Quintanares”, que era de sua autoria e em sua homenagem.

No auge de sua carreira

Foi apenas com 34 anos de idade que Mario Quintana se lançou no mundo da poesia. No ano de 1940 ocorreu a publicação do seu primeiro livro com tema infantil, como já foi dito acima.

Um novo livro, no entanto, só fui publicado novamente em 1946, que foi a obra “Canções”. Apenas dois anos mais tarde ocorre o lançamento de “Sapato Florido”.

Mesmo com tudo isso, sua obra só ganhou reconhecimento nacional mesmo no ano de 1966. Foi neste ano que Mario Quintana ganhou o Prêmio Fernando Chinaglia da União Brasileira dos Escritores. Esse prêmio lhe foi concedido pela obra “Antologia Poética”. Ainda nesse mesmo ano, recebeu uma homenagem na Academia Brasileia de Letras.

Ainda em vida, Mario Quintana recebeu mais uma homenagem, dessa vez em Porto Alegre: a criação de um centro cultural denominado Casa de Cultura Mário Quintana. O local foi montado no centro histórico da capital gaúcha onde era o antigo Hotel Majestic.

Maiores obras de Mário Quintana

Como já deu para perceber, a oba de Mário Quintana possui muitas obras. Porém, como não poderia ser diferente, algumas delas são de maior destaque do que outras. Vamos conhecer as maiores obras de Mario Quintana por categorias:

Poesias

  • 1940 – Rua dos Cataventos
  • 1946 – Canções
  • 1951 – O Espelho Mágico
  • 1962 – Poesias
  • 1976 – Quintanares
  • 1980 – Esconderijos do tempo
  • 1987 – Preparativos de viagem
  • 1989 – A cor do invisível

Literatura infantil

  • 1948 – Batalhão de letras
  • 1968 – Pé de Pilão
  • 1983 – Lili inventa o mundo
  • 1984 – Nariz de vidro
  • 1984 – O sapo amarelo
  • 1994 – Sapato furado

Antologias poéticas

  • 1966 – Antologia poética
  • 1978 – Prosa & verso
  • 1979 – Na volta da esquina
  • 1981 – Nova antologia poética
  • 1982 – Literatura comentada
  • 1985 – Primavera cruza o rio
  • 1986 – 80 anos de poesia
  • 1994 – Ora bolas

Frases e pensamentos de Mário Quintana

Mario Quintana fumando

Ao longo de sua vida e obras, Mario Quintana perpetuou algumas frases e pensamentos que merecem ser destacados. Abaixo, veja alguns deles:

“A amizade é um amor que nunca morre”

“Tão bom morrer de amor! E continuar vivendo…”

“Há 2 espécies de chatos: os chatos propriamente ditos e os amigos, que são os nossos chatos prediletos.”

“Se tu me amas, ama-me baixinhoNão o grites de cima dos telhadosDeixa em paz os passarinhosDeixa em paz a mim!Se me queres,enfim,tem de ser bem devagarinho, Amada,que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…”

“A saudade é o que faz as coisas pararem no Tempo”

“A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.”

” DO AMOROSO ESQUECIMENTO Eu, agora – que desfecho!Já nem penso mais em ti…Mas será que nunca deixoDe lembrar que te esqueci?”

” DAS UTOPIASSe as coisas são inatingíveis… ora!Não é motivo para não querê-las…Que tristes os caminhos, se não foraA presença distante das estrelas!”

Principais características nas obras de Mário Quintana

Não existem dúvidas de que o estilo literário de Mario Quintana é simples. Ele gostava muito de ressaltar a musicalidade que cada palavra tem e suas rimas. Sempre usando assuntos do cotidiano.

O que mais chamava a atenção das pessoas eram os títulos de suas obras e foi assim que ficaram nacionalmente conhecidas.

Além disso, Quintana ainda era adepto do humor como forma de conquistar e envolver os leitores. Sua linguagem como escritor era simples, porém envolvente. Ele tinha o poder de prender e envolver o leitor com frases profundas.

Já em termos mais técnicos, pode-se dizer que Mario Quintana era multifacetado. Em alguns momentos apresentava características mais românticas, em outras surrealista, modernista, irônica e assim por diante.

Homenagens e premiações

Como não poderia ser diferente, ao longo de sua carreira, Mario Quintana recebeu algumas homenagens e prêmios. Uma dessas homenagens, conforme já citamos, foi feita por Manuel Bandeira na Academia Brasileira de letras quando o mesmo recitou o poema Quintanares, escrito pelo homenageado.

Na cidade de Pelotas existe uma escola com o nome do poeta. Já em Porto Alegre, há um bairro com o nome do autor e uma casa de cultura nomeada em sua homenagem.

Além disso, no ano de 1981, Mario Quintana ainda recebeu o prêmio Jabuti de Personalidade Literária do Ano.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre Mario Quintana, suas obras, feitos e seu legado para a literatura brasileira.