Biografia de Martin Luther King – Quem Foi? Qual Seu Legado? Frases!


Martin Luther King foi uma das principais lideranças do movimento negro não violento. Além disso, foi o mais jovem a receber um Prêmio Nobel da Paz por sua luta a favor da igualdade racial.

Então, para saber um pouco mais, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre Martin Luther King, sua conquistas e seu legado. Vamos lá?!


Quem foi Martin Luther King?

Martin Luther King Jr. nasceu no dia 15 de janeiro de 1929 em Atlanta. Ele faleceu no dia 4 de abril de 1968 em Memphis.

Ele foi nada menos do que um pastor protestantes com forte cunho ativista político, nos EUA. Por sua luta, ele foi um dos mais importantes líderes do movimento a favor dos direitos civis dos negros. Isso não somente nos Estados Unidos, mas no mundo todo. Tudo isso graças a sua campanha sempre pregando a não violência e o amor ao próximo.

Martin Luther King realizando o discurso i have a dream

Infância e juventude

Martin Luther King Jr. nasceu no ano de 1929 na cidade de Atlanta, na Geórgia. Ele era filho de Martin Luther King Sr. com Aberta Williams King. Vale lembrar que o seu nome de nascimento era Michael King. No entanto, seu pai já havia mudado o próprio nome de Michael para Martin e disse, algum tempo depois, que o filho havia sido registrado incorretamente.

Martin Luther King Jr., ou só Martin Jr. era o filho do meio. Tinha uma irmã mais velha chamada Christine King e um Irmão mais novo que se chamava Daniel Williams King.

Martin, quando jovem, cantou junto do coro da igreja de Atlanta quando houve a estreia do filme “E o vento levou”. Mais tarde, porém, ele entrou para o seminário ao entender que a Bíblia tinha “muitas verdades profundas que não se pode escapar”.

Em sua origem, Martin Luther King  era bastante cético a respeito das causas do cristianismo. No entanto, o que mais impressiona é que com apenas 13 anos ele negou a ressureição do corpo de cristo na Escola Dominical. Desde então ele mesmo afirmou que uma série de dúvidas começaram a botar inevitavelmente.

Martin Luther King na luta dos direitos dos negros

Martin Luther King realizando um discurso

Com apenas 35 anos de idade, no ano de 1964, Martin Luther King foi o mais jovem ganhador de um Prêmio Nobel da Paz. Isso por cauda da sua luta contra a opressão e segregação racial nos Estados Unidos. Tudo isso pregando sempre uma luta pacífica inspirada em Gandhi e a desobediência civil. Essa é uma luta que prega o não cumprimento de leia e normas da sociedade. Sempre de forma pacífica.

No caso do movimento negro e King, a luta era feita boicotando a segregação racial. Vale lembrar que ela era presente até mesmo em ônibus coletivos do Alabama em 1850. Nessa época, brancos e negros tinha assentos separados.

Rosa Parks foi uma das pioneiras quando passou a não aceitar mais essa divisão. Em seguida, Martin Luther King adotou o movimento.

Houve um boicote de 382 dias ao transporte coletivo. Tempo em que King ficou preso sofrendo abusos enquanto sua casa era alvo de bombas. No entanto, tudo isso resultou em uma decisão favorável da Suprema Corte dos EUA em 1956. Ele decidiram que a segregação racial em lugares públicos era algo ilegal. Foi uma grande vitória para a conquista de direitos civis dos negos.

Vale lembrar que as ações de Martin Luther King não pautadas na violência contrastavam com os movimentos da época. Esse era o caso dos Panteras Negras e dos muçulmanos negros de Malcom X.

Acontece que depois desse boicote de 382 dias, Martin Luther King se tornou uma grande liderança nacional.

Início na política

Rosa Parks era uma mulher negras que em 1955 se negou a ceder seu lugar no ônibus para uma mulher branca. Por isso ela acabou sendo presa. No entanto, os líderes negros locais organizara um boicote à linha de transporte para protestar contra a segregação.

Essa campanha teve a contribuição de Martin Luther King, que recebeu muitas ameaças de morte e teve sua casa atacada. O boicote foi encerrado com a decisão da Suprema Corte a fim de acabar com a segregação racial em locais públicos.

Depois dessa luta, Martin Luther King participou da Conferência da Liderança Crista do Sul, a CLCS. Eles organizavam eventos ativistas dos direitos civis. King se manteve à frente desse movimento até o dia de sua morte. Isso foi algo bastante criticado pelo CNVCE – COmitê Não Violento de Coordenação Estudantil.

Vale lembrar que o CLCS era basicamente composto por comunidades negras que eram ligadas à igrejas batistas. O fato é que Martin Luther King era adepto da filosofia do líder indiano Mahatma Gandhi. Era isso o que ele aplicava nos protestos que organizava pela CLCS.

Ele previu muito corretamente que essas manifestações sem violência e bem organizadas iriam conquistar a opinião pública ao serem atacadas de modo violento pelas autoridades. Isso ampliou a mídia e fez com que a população se tornasse a favor dos direitos civis.

“Eu tenho um sonho”

“Eu tenho um sonho que um dia essa nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado da sua crença: “Consideramos essas verdades como auto-evidentes que todos os homens são criados iguais.”

Eu tenho um sonho que um dia, nas montanhas rubras da Geórgia, os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos descendentes de donos de escravos poderão sentar-se juntos à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho que um dia mesmo o estado do Mississippi, um estado desértico sufocado pelo calor da injustiça, e sufocado pelo calor da opressão, será transformado num oásis de liberdade e justiça.”

Essa é apenas uma parte do discurso de Martin Luther King que ficou conhecido como “I have a dream” (Eu tenho um sonho), utilizado na cidade de Washington D.C. nos EUA. Ele marca um dos mais fortes momentos de luta contra a opressão racial.

fotografia de Martin Luther King pensando

A terrível morte de Martin Luther King

Como não poderia ser diferente, Martin Luther King era odiado pelos que pregavam a segregação do sul. O resultado disso foi o seu assassinato no dia 4 de abril de 1968.

O crime aconteceu quando King foi alvejado por um franco-atirador na sacada do Lorraine Motel, em Memphis. Logo que a notícia veio à público a população foi às ruas.

James Earl Ray, fugitivo da Penitenciária Estadual do Missouri, foi capturado em No aeroporto de Londres e confessou o crime. Ele recebeu uma sentença de 99 anos em regime fechado. Ele morreu na prisão no ano de 1998 aos 70 anos de idade depois de ter tentado negar sua confissão inúmeras vezes.

Seu legado hoje

O legado de Martin Luther King é enorme, com diversas conquistas de direitos para o movimento negro. O seu legado perdura até os dias de hoje e ele é uma referência na luta pacífica. Veja algumas conquistas e seu legado:

  • Protesto sem violência
  • Luta contra o preconceito
  • Procura por justiça e igualdade social
  • Trabalho pelos outros

Pronto, agora você já conhece um pouco mais sobre Martin Luther King, sua história, conquistas, ações e seu legado para o mundo. Aproveite essas informações!