Quem Foi Michelangelo? Qual Sua História e Suas Obras? – Biografia


A história da arte mundial é marcada por muitos nomes de pintores, escultores e poetas. Um desses nomes é Michelangelo, que marcou a história com sua obra única e maravilhosa.

Então, para saber um pouco mãos sobre ele, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Vamos lá?!

Quem foi Michelangelo?

Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni, ou somente Michelangelo, foi um importante pintor, escultor, arquiteto e poeta italiano.

Ele nasceu em Caprese no dia 6 de março de 1475 e morreu em Roma no dia 18 de fevereiro de 1564. Foi considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente.


Também chamado de Miguel Ângelo, ele atuou por mais de 70 anos entre Roma e Florença com seu trabalho artístico.

Juventude e vida familiar

O pai de Michelangelo era um administrador de vilas, no entanto, um mês após o nascimento do filho a sua licença expirou e ele foi transferido para Florença com sua família.

Como era o costumo, o bebê foi entregue para ser criado por uma ama. Voltou a viver com os pais quando tinha 3 anos de idade e a sua mãe faleceu quando ele tinha 6 anos.

O pai não era rico mas possuía um certo prestígio. A sua família era grande e a renda não era suficiente para manter seu padrão de vida elevado. O valor que recebia não era suficiente para pagar todos os empregados que tinha e sua fortuna foi se esvaindo aos poucos.

No entanto, ele reconhecia que Michelangelo tinha um dom especial e mandou o filho para ser educado por Francesco da Urbino assim que ele atingiu a idade certa.

O pai esperava que o filho seguisse uma carreira de prestígio, mas ele obteve pouco sucesso na gramática, matemática e no latim. Isso sem falar que ele burlava as horas e estudo para ir se encontrar com amigos artistas para desenhar.

Foi então que conhece Francesco Granacci, que o incentivou às artes, levando-o a frequentar o atelier do mestre Domenico Ghirlandaio.

Com isso, abandonou o ensino regular a contragosto do pai e irmãos, para quem a carreira artística não era digna de sua linhagem.

Vencendo a oposição do pai, foi admitido como discípulo de pintura. Seguiu avançando até deixar o atelier e entrar na tutela de Lourenço II de Médici. No entanto, há divergência quanto a esse fato.

O fato é que sua rebeldia pode ter tornado ele um pouco irritante para os mestres e parece que não era apreciador de pintura e escultura.

uma obra de Michelangelo

Juventude

Com apenas 15 anos de idade ele passou a viver no palácio de Médici. Lourenço era o chefe da sua família, que era a mais rica da Itália na época.

Para Michelangelo isso foi ótimo, pois recebia um bom salário e ainda usufruía da amizade de mecenas e da atmosfera do seu círculo, que contava com diversos nomes importantes.

Em 1942 Lourenço veio a falecer e o comando de tudo passou para seu filho Pedro de Médici, que tinha apena 20 anos. Segundo os autores, a morte do seu patrono foi muito impactante para Michelangelo.

Sem conseguir trabalhos em Veneza, retornou à Bolonha onde conseguiu Gianfrancesco Aldovrandi como patrono. Ficou com ele por um ano.

A personalidade difícil de Michelangelo

Um homem de estatura média, braços fortes e ombros largos, Michelangelo tinha o cabelo escuro e olhos castanhas. Sua barba se dividia em duas e ele não ligava nada para sua aparência física.

Costumava usar roupas esfarrapadas com as quais dormia às vezes, incluindo seus sapatos sujos. Não se importava com onde dormiria ou o que comeria e tinha o sono curto.

Tinha muitas dores de cabeça e com o passar dos anos desenvolveu problemas na vesícula e reumatismo. No entanto teve boa saúde até seus últimos dias.

Sua personalidade era conhecido como sendo terrível e até um pouco violenta. Ele ainda era considerado excêntrico, antissocial e irritável. Isso sem falar em tímido, melancólico e avarento.

Os biógrafos de sua vida insistem q essas eram condições caluniosas, provando que eram recorrentes, embora pudessem ser falsas.

No entanto, muitos dos seus alunos até o chamavam de pai. Ele também possuía um bom senso de humor e brincava com as pessoas que o cercavam.

Início de carreira

Como a maioria dos artistas da época, Michelangelo iniciou a sua carreira como aprendiz de um grande mestre. Como já foi dito, seu primeiro tutor de técnicas artísticas foi Domenico Girlandaio.

AO perceber o talento do seu aprendiz, Girlandaio ecaminhou Michelangelo para Florença para que aprendesse com Lorenzo de Médici, com quem ele permaneceu por 2 anos.

Em Florença, Michelangelo teve influencia de diversos artistas da época, entre escultores, pintores e intelectuais. Já em 1942 foi morar na Bolonha, onde permaneceu por 4 anos, sendo convidado pelo Cardeal San Giorgio para morar em Roma no ano de 1946.

Foi nessa época que ocorreu a criação de 2 dos seus grandes trabalhos: Pietá e Baco. Em 1501 retornou para Florença e criou outras duas importantes obras que foram: Davi e a pintura da Sagrada Família.

No ano de 1503 Michelangelo recebeu um novo convite de Roma, desta vez vindo de Júlio II. O trabalho era a realização do túmulo papal. Essa foi uma obra nunca terminada, visto que ocorreram constantes interrupções por ser chamado para outras tarefas.

O reconhecimento profissional de Michelangelo

pintura de Michelangelo

Embora já possuísse um bom reconhecimento profissional, foi ente 1508 e 1512 que ele realizou a pintura da Capela Sistina no Vaticano, que ficou conhecido como uma e suas maiores e mais importantes obras. Para isso, ele foi comissionado por Leao X.

No entanto, antes disso, já havia realizado importantes trabalhos, como Davi, Pietá e a Sagrada Família.

Já entre 1534 e 1541 ele trabalhou pintando o Último Julgamento. Ele ficava na janela da capela sistina que ficava no altar.

No ano de 1547 ele recebeu a indicação de arquiteto oficial da Basílica de São Pedro do Vaticano.

Maiores obras de Michelangelo

Como não poderia ser diferente, Michelangelo Buonarotti possui uma grande infinidade de obras. Isso porque ele começou muito cedo nas artes.  No entanto, algumas ganharam destaque. Veja as principais obras do artista:

  • Afrescos da Capela Sistina
  • A criação de Adão
  • O Julgamento Final
  • Martírio de São Pedro
  • Conversão de São Paulo
  • Cúpula da Basílica de São Pedro
  • Escultura Davi
  • Escultura Leda
  • Escultura Moisés
  • Escultura Pietá
  • Retratos da família Médici
  • Livro de poesias
  • A Madona dos degraus (relevo)

Últimos anos de vida

pintura de Michelangelo

Nos seus últimos anos de vida, Michelangelo deixou a escultura um pouco de lado e se voltou para a arquitetura, pintura e poesia. Ele foi chamado por Paulo III para realizar a pintura do Juízo Final.

Ele era conhecido pela concepção de figuras grandiosas, com uma intensidade psicológica e dramática impressionantes.

Uma de suas obras não foi realizada. Ela era chamada A Queda de Lúcifer, e deveria ser pintada na parede oposta a esta. No entanto, segundo Vasai, o desenho foi aproveitado por outro artista na Catedral de Todi, com uma execução não tão digna.

Ele seguiu realizando diversas obras importantes, como a ilustração da Crucificação de São Pedro, entre outras.

No ano de 1555, ascendeu o papa Paulo IV. Isso esquentou o conflito com o governo de Nápoles, intensificando os procedimentos da Contra-Reforma, apoiando a Inquisição.

Assim, a chancelaria outorgada por Paulo III a Michelangelo foi cancelada e o papa queria destruir a pintura da Capela Sistina. A obra era considerada indecente.

Em 1557 Michelangelo teve de buscar refúgio temporário em um mosteiro, deixando que as obras da basílica ficasse a cargo de auxiliares.

Ao voltar para Roma, dedicou-se à criação de um túmulo próprio, o qual nunca executou. No entanto, esculpiu para si a Pietá de Florença.

Ele voltou para as obras se São Pedro, onde suas decisões eram constantemente descartadas pelos assistentes, o que criou um clima tenso que culminou com a remoção de Michelangelo do cargo em 1562.

Morte de Michelangelo e seu legado

No ano de 1563 ele foi eleito como primus inter pares  na Accademia del Disegno em Florença. Nessa época, com quase 90 anos de idade, houve um visível declínio do seu vigor e saúde.

Por volta da transição de 1563 para 1564 passou a ficar claro que ele já não podia mais sair às ruas só, nem a qualquer hora. Tampouco poderia recusar a ajuda de terceiros.

No dia 14 de fevereiro de 1564 ele teve uma espécie de ataque, fazendo com que se espalhasse a notícia de que estava doente.

Seu amigo Tiberio Calcagni veio visita-lo e o encontrou na rua em um dia chuvoso dizendo que não podia encontrar sossego. Segundo relato, sua aparência era péssima e sua fala estranha.

Em casa descansando, outros amigos passaram a visitar-lhe. No dia seguinte ao incidente, chamou seu sobrinho Lionardo. No entanto, ele não chegou a tempo de ver o tio ainda com vida.

Michelangelo faleceu de forma pacifica no dia 18 de fevereiro de 1564. Ele estava na companhia de inúmeros artistas como Diomede Leoni, Tiberio Calcagni, Daniele da Volterra e Tommaso dei Cavalieri  e seus médicos.

Seu corpo, por ordens do governador de Roma, foi posto na Basílica dos Doze Santos Apóstolos com grandes honras.

Pergunta dos leitores

Michelangelo fazia parte do renascimento?

Sim, sem dúvidas, Michelangelo foi um escultor, pintor e arquiteto italiano considerado um dos maiores representantes do Renascimento Italiano.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre Michelangelo, suas principais obras e sua vida.