Quem Foi Simone de Beauvoir? Principais Ideias e Frases – Biografia


Simone de Beauvoir foi uma filósofa existencialista e escritora francesa. Deixou diversos obras e livros. Nasceu em Paris, em 1908 e faleceu no ano de 1986. Também se destacou por ser importante representante do feminismo.

Quem foi Simone de Beauvoir?

Como mencionado, Simone de Beauvoir foi uma escritora francesa, filósofa existencialista, feminista e memorialista. É considerada um dos mais importantes ícones do existencialismo na França. Teve um polêmico e longo relacionamento com o também filósofo e escritor,  Paul Sartre.

Infância e juventude

Batizada de Simone Lucie Ernestinede Marie Bertrand de Beauvoir e conhecida apenas como Simone de Beauvoir, a filósofa e escritora nasceu no dia 9 de janeiro de 1908, na capital francesa, Paris. Foi filha de um advogado e leitor voraz.

Ainda adolescente, Simone já se imaginava sendo escritora. Entre os anos de 1913 e 1925, foi aluna do “Institute Adeline Désir” – um colégio católico apenas para meninas.


Já no ano de 1925, com 17 anos de idade, Simone de Beauvoir entrou para o curso de matemática do “Instituto Católico de Paris”. Também ingressou no curso de línguas e literatura do “Institute Saint-Marie”.

Após concluir os cursos, Simone de Beauvoir ingressou no curso de Filosofia da “Universidade de Sorbonne”. Foi quando Simone conheceu outros jovens intelectuais,  como Jean-Paul Sartre e René Maheu, Com Sartre teve uma polêmica e longa relação.

No ano de 1929, a escritora terminou o curso de Filosofia. Aos 23 anos de idade, no ano de 1931, foi nomeada como professora de Filosofia na “Universidade de Marseille”, onde lecionou até o ano de 1932. Foi transferida para Ruen, onde permaneceu até o ano de 1936.

No ano de 1936, com 28 anos de idade, Simone de Beauvoir volta para Paris e passa a lecionar Filosofia na “Lycée Molière.”

Simone de Beauvoir escrevendo

Educação e vida pessoal

Simone de Beauvoir e sua irmã estudaram o ensino regular no “Institut Adeline Désir” – uma escola católica apenas para meninas. O projeto educacional da escola já era contrariado pelos intelectuais da época. Isso porque esses tipo de instituições davam às suas alunas duas opções para as suas vidas: o convento ou o casamento e as obrigações de uma esposa.

A filósofa também estudou matemática, ingressando no “Instituto Católico de Paris”, aos 17 anos de idade. Além disso, cursou línguas e literatura no “Institute Saint-Marie”.

Já a vida pessoal de Simone de Beauvoir manteve algumas polêmicas. A principal delas foi seu relacionamento com o também escritor e filósofo Jean-Paul Sartre. Foi no ano de 1929 que os dois se tornaram efetivamente um casal. Isso depois que o pai de Simone de Beauvoir confrontou o casal e Sartre, então, pediu Simone em casamento.

Porém, o casamento nunca se concretizou. Simone de Beauvoir propôs a Sartre assinar um contrato de união 2 anos. A relação porém, se manteve ao longo da vida dos dois.

Simone de Beauvoir nunca quis se casar e constituir família. Também optou por não ter filhos. Isso lhe garantiu a oportunidade para se dedicar aos seus estudos acadêmicos, escrever suas obras e lutar pelas causas que acreditava, como o feminismo.

Simone de Beauvoir na luta ao feminismo

Simone de Beauvoir nunca se casou com seu companheiro, Sartre. Para a filósofa e escritora, o casamento não era necessário para se estabelecer uma relação de amor. Ela criticava duramente a opressão da sociedade às mulheres, que praticamente obrigava que elas se cassassem e dedicassem toda a sua vida ao marido e aos filhos.

Também lutou pelo direito de escolha das mulheres. Uma delas era a opção da mulher por não ser mãe -como ela fez.

Últimos dias de vida e sua morte

Os últimos anos de vida de Simone de Beauvoir foram marcados por muito sofrimento, devido aos problemas de saúde que Sartre enfrentou. Mesmo assim, a filósofa e escritora continuou produzindo e no ano de 1981, escreveu “A Cerimônia de Adeus”. A obra era um relato sobre  últimos ano vividos ao lado de Sartre.

Simone de Beauvoir vem a falecer no ano de 1986, em Paris – vítima de uma pneumonia, aos 78 anos de idade. O sepultamento de seu corpo foi realizado no mesmo túmulo de Jean-Paul Sartre. O  Cemitério, “Cemitério de Montparnasse” se localiza em Paris.

Principais ideias e pensamentos de Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir, sem dúvida, foi uma das maiores representantes da luta pelo feminismo e igualdade de gêneros de sua época. Também era adepta à teoria existencialista, que tinha a liberdade como uma de suas principais características.

Suas ideias e pensamentos podem ser vistos, por exemplo, na obra “O segundo sexo”. Nesses escritos,  Simone de Beauvoir aborda profundamente a questão do papel da mulher na sociedade e a opressão que ela sobre em uma sociedade onde o homem é considerado superior. A obra, inclusive, foi considerada agressiva pela Igreja Católica.

Já os pensamentos e as críticas da autora em relação a sociedade francesa estão no romance “Os Mandarins”. Na obra,  Simone de Beauvoir fala sobre a sociedade francesa no período pós-guerra. A autora ainda disserta sobre temas polêmicos como a moral e a política. A obra rendeu à escritora o “Prêmio Goncourt”.

As ideias de Simone de Beauvoir sobre o feminismo ainda estão relatadas no livro “Memórias de uma moça bem-comportada”. Na obra, a escritora expõe relatos reais sobre a sua vida, orientada pelos dogmas da igreja e os hábitos de uma família burguesa, na qual ela cresceu.

Simone de Beauvoir também mantinha ideias polêmicas para a época sobre o casamento e a maternidade. Para Simone de Beauvoir, o casamento seria uma instituição falida no mundo moderno e a maternidade não deveria ser vista como algo obrigatório para as mulheres – mesmo para as casadas.

Principais obras e livros da filósofa

Simone de Beauvoir deixou importantes obras e livros para a filosofia. Entre suas principais produções podemos citar:

fotografia de Simone de Beauvoir

  • O Saque dos Outros
  • A Convidada
  • A Ética da Ambiguidade
  • ​Todos os Homens são Mortais
  • Os Mandarins
  • O Segundo Sexo
  • A Força da Idade
  • Memórias de Uma Moça Bem Comportada
  • Uma Morte Muito Suave
  • A Força das Coisas
  • A Velhice
  • A Mulher Destruída
  • Tudo Dito e Feito
  • Quando o Espiritual Domina
  • Cerimônia do Adeus

Frases de Simone de Beauvoir

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a história, obra e vida de  Simone de Beauvoir, confira algumas de suas frases:

“É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem, somente o trabalho poderá garantir-lhe uma independência concreta.”

“Por vezes a palavra representa um modo mais hábil de se calar do que o silêncio.”

“A humanidade é masculina e o homem define a mulher não em si mas relativamente a ele; ela não é considerada um ser autônomo.”

“O homem é definido como ser humano e a mulher é definida como fêmea. Quando ela comporta-se como um ser humano ela é acusada de imitar o macho.”

“Que nada nos defina. Que nada nos sujeite. Que a liberdade seja a nossa própria substância.”

“Entre as que se vendem pela prostituição e as que se vendem pelo casamento a única diferença consiste no preço e na duração do contrato.”